terça-feira, 25 de julho de 2017

Hesbolá toma vale estratégico na fronteira da Síria com o Líbano

A milícia fundamentalista xiita libanesa Hesbolá anunciou ontem a retomada de um vale estratégico que era o último reduto da Frente pela Conquista do Levante, braço da rede terrorista Al Caeda, na fronteira da Síria com o Líbano, informou o jornal conservador israelense The Jerusalem Post.

Ao lado do Exército da Síria, o Hesbolá reconquistou o vale de Wadi al-Kheil, em Juroud Arsal, uma zona de fronteira montanhosa que foi esconderijo para jihadistas da rede Al Caeda e da organização terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante.

Pelo menos 19 milicianos do Hesbolá e 130 jihadistas sunitas morreram na batalha. O Hesbolá, financiado e treinado pelo Irã, é a principal força terrestre de apoio do Exército na guerra civil da Síria.

Como os xiitas dominam hoje o governo de Bagdá e milícias xiitas, inclusive iranianas, participam da guerra contra o Estado Islâmico no Iraque, o Irã está criando um Crescente Xiita, um arco que vai do território iraniano até o Mar Mediterrâneo passando pelo Iraque, a Síria e o Líbano.

2 comentários:

Rachel Starling disse...

O que representa esta retomada para o Líbano Nelson? Quais as implicações que esta retomada traz?
Eu sei que os libaneses não estão nada satisfeitos com estes ataques!

Nelson Franco Jobim disse...

O Líbano está dividido desde a guerra civil. O Hesbolá é mais forte do que o Exército do Líbano.